Tire suas dúvidas sobre papinhas para baby


Uma das maiores dúvidas das gravidinhas é a alimentação do bebê! 
Por isso selecionei esse post para nossa retrospectiva, leiam:
Hoje o assunto interessa muito às mamães. Gravidinhas também devem ficar atentas. Vamos falar de alimentação infantil, desde quando o bebê nasce até 1 ano de idade. Para isso, nada melhor do que uma “expert” no assunto, estou falando de Carolina Di Guimarães, nutricionista formada pela Puc-Campinas, mestre pela USP/SP em Saúde Pública (foco  na alimentação dos brasileiros que mudam de país), com  cursos nas áreas de fitoterapia e nutrição ortomolecular.


Carolina trabalha há 8 anos com assessoria em escola infantil, atendendo também em seu consultório em Vinhedo/SP, além de ser autora do blog  que conheci recentemente e estou adorando, Saboridades.
Pedi para ela falar um pouco para as leitoras do ASK MI sobre alimentação infantil e dicas de papinhas, confiram:

Assim que o bebê nasce a mamãe deve oferecer o leite materno à criança, de forma exclusiva, ou seja, nada de chás, água ou sucos. Procure oferecer este aleitamento exclusivo até os seis meses à criança.


Neste período acho super importante você estar calma pois o começo da vida do bebê traz muitas mudanças à vida da mamãe, e muitas preocupações. As cólicas são freqüentes pois o intestino do bebê ainda não está totalmente amadurecido (pense bem é a primeira vez que ele recebe alimentos que serão digeridos). Então é normal a criança ter cólicas e gases.


A partir dos seis meses, você pode começar a introduzir alimentos na dieta da criança. Nas primeiras semanas, ofereça uma papa de frutas (um a dois tipos de frutas, raspados ou amassados) e uma papa salgada (um legume -abobrinha, chuchu, cenoura, beterraba, tomate, uma fonte de carboidrato- arroz, batata, macarrão, mandioca, inhame ou fubá, e uma carne- inicialmente você pode cozinhar a carne e retirá-la antes de amassar). Também vale começar a oferecer água filtrada assim que a amamentação deixar de ser exclusiva ok?
Papas nas primeiras semanas de introdução de alimentos:
Manhã- Leite mamãe ou fórmula
Lanche da manhã (2 horas depois)- papa de frutas
Almoço- papa salgada
Lanche da tarde – Leite da mamãe ou fórmula
Jantar- papa salgada
Após 7 meses:  Acrescente uma papa de frutas à tarde.
8 a 11 meses:  Papas mais elaboradas
12 meses em diante:  alimentação da família (sem fast food, sem exageros!)
A mamãe que vai voltar a trabalhar após a licença maternidade, pode começar a introduzir os alimentos cerca de 15 dias antes do retorno ao trabalho. Você pode também fazer armazenamento de leite materno ou começar a introduzir leite em pó/fórmulas. Converse sempre com seu pediatra e obtenha as informações específicas qual leite introduzir.
* Receitinhas de papas de frutas
Papa de fruta “maçã”
½ maçã fuji ou gala raspada com caldo de ½ laranja lima
Papa de fruta pêra
½ pêra willians raspada com 1 dedo de suco de acerola
Papa de fruta mamão – ótima para soltar o intestino
½ mamão papaya, 1 col. Chá de aveia em flocos finos, suco de ½ laranja
*  Dica: se o intestino da criança estiver muito preso, você pode pegar 1 ameixa seca, ferver em ½ xícara de água por 2 minutinhos, e usar este caldo para amassar as frutinhas.
*  Não tenha medo de introduzir as frutas. Você pode oferecer todas. Com frutas mais diferentes como abacaxi, kiwi, mexerica ponkan…, ofereça e observe 2 dias se a criança teve alguma reação como dermatite (pequenas bolinhas vermelhas ou coceirinha na pele), aftas, ou alteração no funcionamento do intestino. Vá observando qual fruta seu bebê mais gosta e sente-se bem!
*  Não ofereça mel, de forma alguma ao bebê no 1º  ano de vida (alguns pediatras não recomendam  até a criança completar 2 anos.)
* Receitinhas de papas salgadas
Papa de carne, fubá e couve
  2 colheres de coxão mole em cubinhos
  1 fio de azeite
  1 colher (café) de cebola ralada
  4 colheres (sopa) de fubá
  1 colher (sopa) de couve picadinha
  1 pitadinha de sal
Numa panela pequena, refogue a carne com a cebola e o azeite. Acrescente dois copos de água e o fubá. Deixar cozinhar sem parar de mexe, até obter caldo incorpado. Juntar a couve picada e cozinhar por mais 2 minutos em fogo brando. No começo você pode bater esta papa ou retirar a carne no momento de servir.
Papa completa com mandioquinha
  ¼ beterraba
  ½ mandioquinha pequena
  1 folha pequena de alface
  1 colher de chá de aveia em flocos
  ½ inhame pequeno
  1 pitada de sal
Cozinhe tudo em pouca água e bata no liquidificador até obter a sopinha. Aos 7 meses você pode amassar os legumes com um garfo até formar um purê.
Papa de batata, cenoura e fígado
  40g de fígado em cubos (colocar limão antes de preparar a papa)
  2 batatas pequenas
  ½ cenoura
  1 pedaço pequeno de chuchu
  1 pitada de sal
  1 colher de café de cebola ralada
  1 fio de azeite
Numa panela, refogue o fígado com a cebola e o azeite. Acrescente os legumes e o sal, e cubra com água.Tampe bem e deixe cozinhar até os legumes ficarem macios. Se necessário acrescente mais água.
*Dica: Não tenha medo de ir evoluindo a consistência das papas para a criança (sopinha, purês amassados com garfo, comidas macias).
*Ofereça todos os tipos de legumes e verduras, sem medo. Vale observar também a reação da criança a cada novo alimento.
*Tempere sempre as papas com ervas e temperos frescos (cheiro verde, alho, cebola). Só maneire a quantidade de sal da papa.
* Não ofereça clara de ovo à criança até 1 ano de idade. A gema do ovo você pode cozinhar e acrescentar à papa, especialmente se a criança precisar ganhar peso.



Tenha em mente que estas práticas alimentares no primeiro anod e vida, são um marco na formação dos hábitos da criança. O segredo de tudo é você não ter medo de oferecer os alimentos à criança, mas ter cautela com relação à junk foods e alimentos industrializados que adultos consomem. Fique sempre atenta à forma como seu bebê reagiu a cada novo alimento e faça acompanhamento periódico com seu médico pediatra.

fotos: Shutterstock



Contato: Carolina Guimarães


Clínica Integra, Vinhedo/SP

tel. 3886-2744
 
 
 
Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#entrevistas#petit#saude

DIÁRIO DE BORDO: Primeira Viagem da MV


E aí, estão gostando da nossa Retrospectiva? Por aqui estou aproveitando bastante, descansando!! O post de hoje fala sobre a minha primeira viagem com a Vivi…. ai que saudade que meu deu em reler!!! Vejam:

Como já disse aqui, em julho, minha família toda foi para Orlando passar um mês. Era a primeira viagem internacional da MV e como ela tinha menos de 1 ano e eu, mãe de primeira viagem, fiquei um pouco ” tensa”. Era muita coisa para pensar, para levar, dúvidas quanto a alimentação, sem contar a parte burocrática. Pensando em vocês e também, para responder vários e-mails com dúvidas sobre este assunto, vou passar algumas dicas baseando-se nesta experiência, que foi muitoo boa!






1º Passo:  Parte Burocrática



Passaporte: Tive que tirar o passaporte e visto da MV e babá, que levamos também! Primeiramente, você deve entrar no site da Polícia Federal e agendar a entrevista. Com relação a emissão do primeiro passaporte da criança, os pais (ambos) devem comparecer no dia da entrevista juntamente com a criança. Caso algum deles não possa ir, deverá fornecer um documento registrado em cartório, autorizando a emissão do passaporte. Quando for retirar o passaporte, apenas um dos pais precisa comparecer, levando o protocolo.


Visto: Recomendo fazer sempre com um despachante. Apesar de ser um pouco mais caro, pois há a taxa, facilita muito. Não precisei levar a MV, apenas enviei a documentação. Fui informada lá no Consulado que quando os pais possuem passaporte, a criança não precisa mais comparecer, nem os pais, caso estes tenham os vistos válidos. O visto para a babá já foi mais complicado, tive que ir com ela  e depois de ficarmos 4 (quatro) horas na fila, respondemos várias perguntas na entrevista. Nesta parte o despachante foi essencial.



2º  Passo: Arrumando a mala



Como alugamos uma casa, eu fiquei mais tranquila quanto a alimentação da MV, pois tinha um supermercado super bom lá perto. Como vocês já sabem, a MV tem alergia à proteína do leite então, decidi levar todas as latas do leite que ela toma, de soja, na mala. Para isso, colei uma etiqueta em cada um, escrito em inglês que era um leite para alimentação especial de criança, visando evitar problemas com alfândega. Deu super certo, ninguém perguntou nada. Já as roupinhas, não levei muitas, pois eu iria comprar algumas peças para ela por lá, e também, íamos lavar as roupinhas na casa.

Na bolsa e mala de mão, que iriam dentro do avião, coloquei itens essenciais: mamadeira para leite; mamadeira de suco; mamadeira de água; embalagem com as quantidades do pó do leite que iríamos usar (2 vezes em cada voo); pomada; fralda descartável; fralda de boca; lenço umedecido; babadores descartáveis; brinquedinhos; DVD Sony (ajudou muitooo na viagem); colherzinha para fruta e papinha; térmica com a papinha dela (fiquei com medo do avião não fornecer a papinha que eu tinha solicitado dias antes por telefone); chupetas; minha farmacinha (a médica da MV escreveu uma lista de remédios para eu levar e foi muito bom, pois viajei mais tranquila, sabendo que tudo que eu fosse precisar estaria lá ); 2 roupinhas extras; 1 cobertor pequeno; 1 malha de frio e o travesseiro dela.

Tudo que é relacionado à alimentação da criança (suco, água para o leite, papinhas) podem ter acima de 100ml na bagagem de mão. Os medicamentos que tinham acima desta quantidade, despachei em outra bagagem.

3º Passo: No avião



Foi mais tranquilo do que eu imaginava. Voamos de TAM e eu fiquei muito satisfeita com o atendimento com crianças de colo. Duas semanas antes da viagem, liguei para a cia aérea e pedi 1 papinha salgada e 1 de frutas para cada trecho do voo. Além disso, eles contam com mamadeiras e talheres para criança. Mesmo tendo pedido por telefone eu levei a colherzinha da MV e a “papinha”, pois fiquei com medo de eles esquecerem.

O voo da ida foi diurno e o da volta o noturno. Achei o noturno melhor. A MV não ficava no bercinho que a TAM disponibilizou, até porque, achei bemm pequeno, ela nem conseguia deitar direito. Então, eu, meu marido e a babá fizemos um rodízio com a MV, ficando cada momento, uma pessoa com ela. Funcionou super bem, principalmente no voo noturno, pois ela veio dormindo quase até o Brasil.

Recomendo levar uma touquinha e meias, pois as cabines têm, normalmente, temperaturas bem baixas, evitando assim, que seu filho fique resfriado. A chupeta, na minha opinião, é essencial para não doer o ouvido na decolagem e na descida.

Mas vocês devem estar perguntando o que fiz com o carrinho da MV. Na verdade, o modelo que temos – Quinny Zap – possibilita os pais levarem o carrinho a bordo, dentro de uma mochila que o acompanha quando você compra. Muito prático. Mas eu vi várias mamães despachando os carrinhos ou então, iam com eles até a entrada do avião e depois os retiravam na chegada.






4º Passo: Na Disney

A MV simplesmente amouuuu a viagem. Não a levava em todos os lugares que íamos, principalmente a noite (pois ela dorme cedo). A única exceção foi quando assistimos a Parada da Disney, que terminou às 10:30 da noite. Ela ficou tão empolgada que nem conseguiu dormir direito! Ver a alegria no rostinho dela foi inesquecível!

Quanto à alimentação, foi super tranquilo, com direito às frutas e legumes de costume. Não senti falta de nada, até porque encontrei muitas opções legais por lá!

A MV andava na cadeirinha que alugamos juntamente com o carro, muito simples! E nos parques, levávamos o carrinho, apesar de que todos eles tinham carrinhos para alugar. Nos parques, a maioria dos espaços reservados para crianças – fraldários – são maravilhosos e super completos: tudo que você precisar tem para vender, desde fralda descartável até papinhas.

Eu, que sempre achei besteira levar criança desta idade para viajar, ainda mais para Disney, “paguei a língua”, pois esta vivência serviu para mostrar o quanto um bebê pode aproveitar (mesmo que não vá lembrar de nada, mais para frente) em uma viagem. Seja ela para um lugar pertinho de sua casa, seja para longe, o importante é estimular sempre a criança, mostrando coisas novas e experiências diferentes!

Ufa, quanta coisa! Espero que tenham gostado e esclarecido algumas dúvidas!

Eu e minhas irmãs (Marcela e Mariah) fazendo a festa com a MV!

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#dicas úteis#petit#viagens

Sapatos para Meninas by Tamara Rudge

Oi meninas, tudo bem???
Hoje resolvi falar sobre uma paixão que quase todas nós mulheres temos: sapatos!!! E eu, como mãe de menina, me realizo escolhendo modelos lindos, fofos e confortáveis para a Sofia. Resolvi mostrar aqui quais são os meus preferidos. Espero que gostem!

– Para o colégio e dia a dia gosto de tênis bem coloridos e lúdicos. A Sofia ama os modelos que “piscam” quando ela pisa no chão. Quanto mais “espalhafatosos”, melhor!!! Acho muito fofos e dão uma colorida no uniforme do colégio que é tão sério… Sempre combino o laço do cabelo com a cor do tênis.

Modelos Skechers: são meus preferidos. Super confortáveis e duram muito. Compro sempre no www.netshoes.com.br

Modelos com as princesas também fazem bastante sucesso por aqui. Todos esses comprei no Amazon.com

– Para o dia a dia gosto muito desses sapatinhos que tem o solado de borracha, são muito práticos e deixam o look bem charmoso. Também amo menina de TOM’S, acho super estiloso e aqui em casa todo mundo usa: eu, Sofia, Antônio José…

Sapatos Jacadi: são bem versáteis e combinam com tudo.

Sapatos Tom’s: simples e estilosos, eu adoro.

– No verão a Sofia costuma usar muita sandália e as que eu acho mais charmosas são as da Jacadi. Elas são MUITO resistentes, vale super a pena o investimento.

Sandálias de verão Jacadi – queria de todas as cores!

– Para festinhas e eventos importantes gosto do clássico estilo “boneca”: chique e atemporal. Aqui em São Paulo você encontra na tradicional Casa Tody (www.casatody.com.br) os modelos mais lindos, confortáveis e com ótimo custo benefício.

Sapatos boneca Casa Tody, para mim os mais bonitos!

– Como minha filha ama usar fantasia, tem também os sapatos das fantasias… Sempre alguém acha a cara dela e dá de presente, ela A-MA! Essas pantufas são uma delícia para ficar em casa.

Pantufas compradas no Amazon.com e sapatos na loja da Disney

– Aqui, alguns modelos imitando a mãmae… A maioria ainda não cabe nela, mas Sofia amou quando viu o sapato igual ao da mamãe. Achei fofos e adoro sair combinando com ela de vez em quando.

Espadrilles “Chanel”, sapato “Valentino”, etc…
Os da Chanel e Hermès são www.bbcoolboutique.com.br e o do Valentino eu ganhei de presente!

– Na Jacadi também tem outros modelos lindos de sapatos, mais chiques e diferentes… Olhem algumas opções abaixo:

Uso esses em momentos mais especiais

A Sofia também usa muito em casa aquelas meias da Puket que são antiderrapantes e bem confortáveis para caminhar. E sempre que vamos para natação, o bom e velho Croc’s é o nosso companheiro!!

E vocês, quais sapatos mais gostam para seus filhos???
Beijos e até a próxima!
Tamara Rudge

ESCRITO POR Tamara Rudge

Tamara tem 29 anos e é mãe da Maria Sofia, 3 anos, e do Antonio José, 9 meses. É engenheira civil, dona de casa, casada e uma eterna apaixonada pelo universo da maternidade e a moda infantil.

#dicas úteis#inspiração#petit

Organizando a mala de verão da Vivi

Oi meninas, tudo bem? Post que vocês adoram hoje: como arrumar malinha de viagem! Vamos ficar 4 semanas aqui em Miami e por isso pensei em uma malinha prática, completa mas sem exageros, pois a gente sempre acaba comprando alguma coisa por aqui, ainda mais nessas épocas de promoções (vou fazer um post sobre isso depois, tá?). Vejam só como faço, passo a passo:
Começo pelos vestidos; depois batinhas (adoro); depois conjuntinhos (short ou saias + blusinhas); aí vem as camisetas e blusinhas (como essa época aqui é muito quente, trouxe apenas 1 ou 2 de manga comprida); depois as calças e leggings (como está quente, trouxe bem poucas, foco mais nas leggings tipo academia); aí vem 1 conjunto de abrigo (para aeroporto) + 2 blusinhas de frio, pois aqui o ar condicionado é forte; e, por fim, biquínis / maiôs / saídas,  bem como pijaminhas / camisolas / calcinhas / meias  e nécessaires!
Coloco tudo na cama, pois me ajuda a ver se os tons estão combinando, se a quantidade está boa etc. Ah isso também facilita na hora de guardar na mala, começo sempre com as peças que amassam mais como vestidos e tecidos de seda. Normalmente os coloco abertos no fundo da mala.
Vestidos e batinhas

Detalhes dos vestidos

Conjuntinhos + batas + biquínis / maiôs

Saídas de praia, maiôs e biquínis

Aqui tem as leggings, calças, batinhas, camisetas / blusinhas

Adoro organizar em saquinhos as meias, as calcinhas, os lacinhos,  os biquínis, facilita bastante a organização! Ahhh, também sempre levo esse saquinho escrito “laundry” para colocar as roupas sujas!

Detalhes das blusinhas e batas

As nécessaires:  uma de pomada, outra de remédios maiores, outra de produtos de higiene e os saquinhos.

Sapatos: bem verão!

Pijamas e saquinho com lacinhos!
Gostaram? E vocês, alguma dica para ajudar na hora da organização da mala dos pequenos?

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#dicas úteis#petit

Lacinhos Vivi: onde compro e como guardo

O guarda roupa da Vivi não é exagerado, consigo selecionar e programar bem as comprinhas que faço! Mas confesso que tenho algo que compro sem fazer muita conta, que sou apaixonada: laços, presilhas, fivelas etc… Acho que ela fica tãooo fofa, não consigo resistir!
 
 
Muitas de vocês fazem 2 perguntas sobre isso: A primeira é onde compro e a segunda é como eu os organizo! Hoje vou contar para vocês:
 
 
 
* Onde compro:  como vamos com frequencia para Miami, costumo comprar no shopping Aventura Mall, na loja Miss Katie´s Charm, que sempre tem muitassss opções: vários tamanhos, cores, tons, formatos. Um mais lindo que o outro! Alias essa loja é o paraíso para mães de princesas! Aqui no Brasil eu descobri a @meninadelaco e desde então virei cliente! Recomendo as 2!   Ahhh,em Miami também recomendo a Target e Walmart, sempre com precinhos otimos! No Amazon também há algumas opções com valores otimos!
 
Algumas opções que vc encontra na Miss Katie´s em Miami!

* Como organizo: Os laços e flores eu costumo coloar em uma espécie de quadrinho com fitas que comprei em Miami. Na verdade ele é muito fácil de fazer, depois que comprei que pensei nisso…rs Eu o pendurei na parede próxima ao guarda roupa da Vivi e pronto! Super prático e fácil.Vejam:

 
 
Já os elásticos, mini piranhas e tic tac eu deixo nessa necessaire com ziper! Aliás é nela que coloco os laços e tudo que a Vivi vai precisar para deixar seu cabelinho ruivo mais fofo em nossas viagens!

Nessa foto dá para ver melhor: são 2 molduras presas por fitas largas, onde penduro cada lacinho!
 
 
E a necessaire!

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#dicas úteis#petit