Com que frequência devemos ir ao médico?

Com que frequência devemos ir ao médico?

Todo mundo deveria saber que, quando apresentamos sintomas desagradáveis ou incapacitantes, um médico deve ser consultado, já que só ele é capaz de dar um diagnóstico e tratamento exatos. O simples ato de ir ao médico quando surge um sintoma pode prevenir e ainda curar doenças.

 

Segundo a Dr. Aier Adriano Costa, coordenador da equipe médica do Docway, a grande maioria da população não tem o costume de cuidar da saúde. “As pessoas têm o hábito de se automedicar ou procurar uma solução rápida para o problema com familiares, vizinhos e até no Google. O que acontece, é que isso pode acarretar um problema sério posteriormente”, explica.

 

Askmi

 

Ainda segundo o especialista, checkups são muito importantes, mas poucos são os que mantêm este hábito. Tal acompanhamento é necessário para avaliar como está o funcionamento do corpo do paciente e, em caso de enfermidades, tratá-las. “Algumas doenças são insidiosas e só vêm apresentar sintomas relevantes quando já estão em estágio avançado. O costume de consultar um médico não apenas quando se está doente faz muito bem pra saúde e pra uma boa qualidade de vida.”, acrescenta.

 

Mas afinal de contas, você sabe com que frequência deve ir ao médico? Uma vez por ano ou duas? Todo mês ou um mês sim, outro não? A verdade é que cada idade exige uma “frequência” diferente de idas ao médico. Confira algumas dicas do Dr. Aier para diferentes perfis:

 

Crianças: Após a saída do hospital, caso esteja tudo bem com o recém-nascido, a primeira visita deve acontecer no 15º dia de vida. Passado esse período, as consultas devem ser feitas aos: 2, 4, 6, 9 e 12 meses no 1º ano de vida. No 2º ano, o pediatra deve ser consultado para o acompanhamento do bebê aos 15, 18, 21 e 24 meses. A partir daí, é necessário que se verifique o peso e a estatura a cada 6 meses até o 5º ano de vida e depois anualmente entre 6 e 18 anos. Obviamente, se o paciente apresentar alguma doença de base ou quaisquer alterações ao longo deste acompanhamento, essa periodicidade pode sofrer alterações.

 

Grávidas: Elas devem procurar o médico assim que tiverem o diagnóstico de gravidez ou mesmo na suspeita de,  para iniciar o acompanhamento da gestação. Até o sexto mês, as visitas ao obstetra  devem ser mensais. Depois disso, podem ocorrer de 15 em 15 dias, de acordo com o decorrer da gestação. Caso a gestante venha a sentir algo diferente, deve procurar imediatamente o médico.

 

Adultos: Devem realizar um checkup com todos os exames necessários uma vez ao ano, caso não possuam nenhum problema já diagnosticado de saúde. Exames de audição e visão devem ser feitos a partir dos 40 anos, ou antes, caso existam queixas pertinentes. Os exames específicos, ginecológicos e urológicos, por exemplo, como mamografias, ultrassonografias e consultas aos especialistas, devem ser realizadas na periodicidade recomendada por cada especialidade de acordo com as idades dos pacientes.

 

Idosos: Se estão saudáveis, podem seguir a mesma recomendação dos adultos e ir apenas uma vez por ano. Mas se apresentam alguma doença, devem ir ao médico com a frequência determinada por ele.

 

Para finalizar, o especialista recomenda que as idas ao médico se tornem um hábito, para evitar maiores problemas no futuro. “Não deixem que apenas a doença leve ao médico, um acompanhamento adequado previne inúmeros problemas, a sua saúde agradece”, completa.

 

Imagem e colaboração de texto: Camila Borba – P+G Comunicação Integrada e Dr. Aier Adriano Costa

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#Blog AskMi#cuidados#dicas#médico#saude

Nossa experiência com a Haptonomia na França!

Nossa experiência com a Haptonomia na França!

Oiii meninas, bom dia!!! Estou super empolgada pois hoje estamos voltando com a coluna da nossa querida Ana Fadalti, do Enxoval Babies! E hoje temos um tema diferente para falar, sobre a experiência dela com a Haptonomia na França, vejam:

 

Image-principale-Article-Blog

 

Durante minha primeira gravidez aqui na França ouvi falar da haptonomia, que é apresentada como o método do “toque emocional”. Começamos a aprender sobre os benefícios, o que poderia trazer para o nosso bebê e para nós. Convencidos pelos vídeos, as explicações e depoimentos resolvemos tentar.
Ao contrário de outros métodos, esse método é na forma de sessões individuais e o papai participa ativamente.
E toda a sessão é feita para o bebê . Não é como as aulas de yoga ou de meditação, onde podemos conversar com o bebê mas sempre se concentrando no “eu”. Aqui você se concentra somente no bebê, é uma conversa a três.

 

Aqui na França este método é bem conhecido e várias francesas fazem durante a gestação. A haptonomia é um método de toque que permite a comunicação com o bebê dentro do útero, foi criada pelo médico holandês Frans Veldman.

 

Estávamos ansiosos para encontrar a parteira. Mas eu não conseguia saber o que realmente iria sentir. Fomos porque queríamos desenvolver um relacionamento emocional com o nosso bebê. E para o papai esta preparação era super importante, mas também muito intimidante.
A particularidade desta prática, é a participação do papai e foi uma experiência mágica para nós três. O legal foi a possibilidade de comunicar com o bebê dentro da minha barriga, antes da sua vinda ao mundo.

 

As sessões de Haptonomia geralmente começam em torno do quinto mês de gravidez. Foi quando eu comecei. A partir do momento em que a mãe sente os movimentos do bebê.
O método é muito utilizado como preparação para o parto. Mas o mais concreto foi no pós parto. O papai e o bebê já se conheciam. Não foi uma descoberta para os dois.
Com a haptonomia, o papai teve uma maior participação na gravidez e no pós parto. Além de ter nos dado a chance de viver uma experiência única.
Se quiserem ler o meu depoimento completo é só clicar aqui. Bisous, bisou, Ana.

 

Coluna por Ana Fadalti – Enxoval Babies

Ana Fadalti para Enxoval Babies

ESCRITO POR Ana Fadalti para Enxoval Babies

A primeira e única consultoria em enxoval de bebê em Paris e na Europa. Fluente em francês e apaixonada pela Europa, Ana ajuda a realizar compras personalizadas e específicas para cada mamãe.

#Ana Fadalti#bebê#Blog AskMi#coluna#comunicação#França#gestação#Haptonomia#mamãe#médico#método#papai#relacionamento#útero