Dicas para deixar seu lavabo + charmoso!

Dicas para deixar seu lavabo + charmoso!

Hoje quero mostrar fotos do meu lavado e dar algumas dicas pra vocês, para arrasar na hora de receber os seus convidados em casa!

 

 

 

Dicas:

-deixar sempre duas opções de toalhas (de papel e de pano) e uma quantidade adequada de cada um; outra dica é deixar um cesto para armazenar as toalhas de pano usadas, ao lado da pia; as toalhas de pano podem ser bordadas com as iniciais do seu nome; na imagem acima mostro as duas opções que tenho;

-ter sempre sabonete líquido e hidratante para as mãos;

-decorar com velas perfumadas, flores e vasos, para deixar um ambiente mais charmoso;

-uma outra opção para decorar e também deixar o ambiente agradável, são sabonetes decorativos;

-sempre deixar um home spray no lavabo.

 

Detalhes que fazem a diferença: sabonetes e pente decorativos; vasos; caixa de vidro e forrada com tecido.

 

Fotos: Marina Xandó

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#cuidados#decor#dicas#lavabo#Marina Xandó

7 mitos e verdades sobre a queda capilar e calvície feminina!

7 mitos e verdades sobre a queda capilar e calvície feminina!

A calvície feminina é um problema extremamente preocupante para as mulheres. Por ser um fator que afeta diretamente a autoestima das pessoas, muitas buscam ajuda e soluções para esse caso. Mas, o que não imaginam é que muitas vezes cometem alguns deslizes que podem levar ao aumento progressivo da perda dos fios. Para desmistificar alguns fatores a Dra. Leticia Contin, dermatologista e tricologista, respondeu questionamentos sobre o tema. Confira abaixo 7 mitos e verdades sobre a calvície feminina:

 

ClaudiaAbril

 

1. Alimentação afeta a saúde do cabelo?

Verdade. Uma dieta balanceada e rica em nutrientes é importante para a saúde dos fios, um organismo bem alimentado se reflete em cabelos saudáveis. A deficiência de vitaminas e proteínas pode ser um fator agravante para quem já possui problemas capilares.

2. A queda capilar aumenta após o parto?

Verdade. Durante a gravidez há uma grande mudança na quantidade dos hormônios femininos. Após o parto, no período de amamentação, o corpo passa por um novo rearranjo hormonal, com queda dos níveis de progesterona. Esta mudança repentina influencia o ciclo natural de vida dos fios, acentuando a queda que vai ser sentida em torno de 3 meses após o parto.

3. Lavar o cabelo com frequência faz mal?

Mito. Lavar menos os cabelos pode gerar um aumento na oleosidade do couro cabeludo e piora da dermatite seborreica (caspa), levando ao aumento da queda. Mas a quantidade de vezes adequada para lavar os fios vai depender do tipo de cabelo.

4. Prender o cabelo pode facilitar a queda dos fios?

Verdade. Essa pode ser uma causa da calvície, como a alopecia por tração, por exemplo, relacionada à tensão prolongada dos fios. Este tipo de alopecia pode, inclusive, ser permanente se a tração ocorrer por um longo tempo e de maneira prejudicial.

5. Dormir de cabelo molhado faz o cabelo cair?

Verdade. Dormir com cabelos úmidos ou molhados facilita a proliferação de fungos e caspas, que, com o tempo, pioram a calvície. Por isso, é importante lembrar que, caso precise lavar o cabelo a noite, seque com o secador antes de deitar.

6. Boné ou chapéu causa queda capilar?

Mito. O uso desses acessórios não faz os cabelos caírem, mas abafamento pode aumentar dermatite  seborreia e por consequência, progredir a calvície.

7. Remédios caseiros podem ajudar no controle da calvície?

Mito. Muitos remédios caseiros prometem a prevenção da queda capilar ou até mesmo que o cabelo volte a crescer. Mas, deve-se evitar a auto-medicação, pois ela pode retardar o descobrimento da real causa da queda e retardar os tratamentos adequados.

 

Entretanto, o que funciona para a queda capilar e calvície feminina?

A Dra. Leticia explica que é muito importante consultar um dermatologista para descobrir a causa da perda dos fios. “A partir disso, é possível dar um diagnóstico preciso e um tratamento correto para cada caso e estilo de vida”. Para quem busca um método para utilizar em casa, a laserterapia pode ser uma boa opção para alguns tipos de alopecia, já que ela quase não possui contraindicações.

O laser aumenta o fluxo sanguíneo, levando mais oxigênio e nutrientes aos folículos, além de ativar as defesas antioxidantes e acelerar a eliminação de resíduos. Estimula então o crescimento natural do cabelo e permite que os fios cresçam com maior densidade.

 

Auxilio texto: Dra. Leticia Contin, dermatologista e tricologista

Imagem: https://claudia.abril.com.br

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#Blog Ask Mi#cabelo#calvície feminina#cuidados#dermato#dermatologista#dicas#Marina Xandó#mitos#verdades

Viaje, mas não deixe seu pet sozinho!

Viaje, mas não deixe seu pet sozinho!

Chega o período de férias escolares, as famílias aproveitam para viajar com as crianças e os pets que não seguem junto com os seus tutores, precisam de cuidados. De acordo com a médica-veterinária e membro da Comissão de Bem-Estar Animal, do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Liziè Buss, a recomendação, de modo geral, é que os animais de estimação não fiquem sozinhos e tenham sempre a companhia de uma pessoa ou de um outro animal de estimação. Nessas férias, aqui em casa, nós viajamos e a Florzinha ficou na casa da minha mãe com as cachorrinhas das minhas irmãs, a Lulu e a Mila, e havia uma prima nossa cuidando delas, o que foi ótimo e essencial para elas terem todos os cuidados e atenção que necessitam. A solidão para os cães pode sim ser problemática, mesmo que por poucos dias.

 

askmi

 

Cuidados

 

Para não deixar os pets sozinhos, existem creches e hotéis, bem como os cuidadores que visitam a casa do tutor em períodos do dia e/ou noite para fazer companhia e alimentar os animais durante a ausência da família.

 

Também existem os produtos e jogos de enriquecimento ambiental, que ajudam a manter o animal ocupado nos períodos em que ele fica sozinho, reduzindo a ansiedade.

 

Exercícios também ajudam bastante, pois “os animais gostam de trabalhar pelo seu alimento”, assegura Liziè. Passeios, caminhadas e brincadeiras antes de deixar os animais sozinhos são recomendados, pois eles se cansam e conseguem relaxar um pouco mais.

 

A médica-veterinária destaca que os cães que são muito sensíveis devem ter treinamento adequado para que possam se adaptar à rotina moderna das famílias e possam ficar alguns períodos sozinhos.

 

“É preciso ensinar os animais a ficarem sozinhos e, para isso, é importante que os tutores contratem adestradores positivos e tenham um plano de treinamento adequado, de forma a educar o animal a permanecer sozinho e confortável por algum tempo”, recomenda.

 

Danos

 

Segundo Liziè, os animais que não socializam, acabam tendo uma série de problemas, como demonstração de agressividade com outros animais e/ou com pessoas; ansiedade de separação, algumas vezes até necessitando de tratamentos medicamentosos; situações que podem gerar mutilações; e desespero e comportamento de pânico.

 

“São situações que podem interferir na qualidade de vida da família e também da comunidade, que muitas vezes se deparam com cães que uivam e choram o dia inteiro ou tentam fugir”, diz a médica-veterinária.

 

Mas a especialista alerta que os animais, assim como nós, têm dias de tédio, de frustração. “Não é porque em algum momento o cão gritou, chorou, uivou, que isso necessariamente é maus-tratos”.

 

Espero que tenham gostado das dicas e torço para que todos que tenham bichinhos de estimação cuidem deles com muito carinho e amor, pois eles merecem… não somente cachorros e gatos que são mais sociáveis, mas também quem tem coelhos, pássaros, tartarugas, peixinhos, enfim, todos os animais merecem cuidados.

 

Imagem: Internet / Colaboração texto: Assessoria de Comunicação do CFMV

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#amor#animal de estimação#cães#carinho#cuidados#dicas#gatos#pet

Cuidados para não estragar as festas de final de ano!

Cuidados para não estragar as festas de final de ano!

O Natal e o Ano Novo estão chegando, com eles inúmeras comemorações, viagens e alegria, mas isso não quer dizer que podemos exagerar e descuidar da saúde. Por isso, é importante tomar alguns cuidados para não acabar com as comemorações de final de ano. Para aproveitar as festas sem correr riscos, o Dr. Aier Adriano Costa, coordenador da equipe médica do Docway, elencou algumas dicas bem importantes:

final de ano

1) Beba muita água

Durante essa época do ano, com os dias normalmente mais quentes, o cuidado com a hidratação deve ser redobrado, já que o corpo elimina naturalmente mais líquidos e sais minerais do nosso organismo. Por esse motivo, a ingestão de água é tão importante. Mas se você é daqueles que não consegue tomar água com facilidade, o Dr. Aier dá outra dica: uma boa opção para os dias de calor é a água de coco, que, além de conter baixo número de calorias, tem uma composição natural semelhante à do soro fisiológico, hidratando o organismo com mais eficácia.

2) Cuidado com o que você come

Outro sintoma comum nos dias de calor é a falta de fome, porém é muito importante que a pessoa se alimente para não correr riscos. O melhor jeito para driblar o problema é consumir alimentos leves e de fácil digestão, entre eles saladas, frutas, legumes e carnes magras. É importante tomar cuidado com os petiscos e sobremesas, que são naturalmente mais pesados e de difícil digestão.

3) Mantenha sua rotina e horários

É muito comum que nessa época do ano as pessoas abram mão da sua rotina e dos seus horários, acordando mais tarde e programando atividades ao longo do dia que não fazem parte do seu dia a dia, o que acaba afetando diretamente a saúde. Se você consegue manter o controle, sair da rotina pode não trazer consequências, mas existe pessoas que, quando saem do ritmo normal, acabam exagerando. É importante descansar e se divertir, mas estabelecer horários mais próximos aos do seu dia a dia evitam maiores riscos.

4) Cuidado com a conservação dos alimentos

No Verão, os alimentos podem perecer mais rapidamente. Por isso, quando for comprar os alimentos para as festas, entre eles frutas, verduras e legumes, é bom verificar o seu estado geral. Evite alimentos que estiverem amassados, batidos e manchados. Cuidado também ao armazenar, já que o consumo de alimentos deteriorados ou mal conservados pode levar a intoxicações alimentares, estragando a sua festa.

5) Cuidado com aquela cervejinha a mais

Especialmente nas festas de final de ano, bebidas alcoólicas são consumidas com maior frequência.  O problema é que além das bebidas alcoólicas serem calóricas, quando ingeridas em grandes quantidades, podem levar à desidratação, já que o álcool “retira” a água das células, agindo como um diurético. Uma dica para quem quer aproveitar as festas sem exageros é intercalar a bebida alcoólica com o consumo de água, ajudando o organismo a manter-se hidratado.

6) Divirta-se, mas sem descuidar da saúde!

Nada melhor que aproveitar a vida. Com tantas comemorações, comidas e bebidas gostosas, fica muito difícil resistir. Devemos, sim, nos divertir e aproveitar esses eventos, mas o equilíbrio é fundamental para que 2018 comece como todos queremos: com o pé direito!

final de ano 1

Auxilio texto e imagens: Erika Lemes / P+G Comunicação Integrada

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#Blog Ask Mi#cuidados#dicas

Com que frequência devemos ir ao médico?

Com que frequência devemos ir ao médico?

Todo mundo deveria saber que, quando apresentamos sintomas desagradáveis ou incapacitantes, um médico deve ser consultado, já que só ele é capaz de dar um diagnóstico e tratamento exatos. O simples ato de ir ao médico quando surge um sintoma pode prevenir e ainda curar doenças.

 

Segundo a Dr. Aier Adriano Costa, coordenador da equipe médica do Docway, a grande maioria da população não tem o costume de cuidar da saúde. “As pessoas têm o hábito de se automedicar ou procurar uma solução rápida para o problema com familiares, vizinhos e até no Google. O que acontece, é que isso pode acarretar um problema sério posteriormente”, explica.

 

Askmi

 

Ainda segundo o especialista, checkups são muito importantes, mas poucos são os que mantêm este hábito. Tal acompanhamento é necessário para avaliar como está o funcionamento do corpo do paciente e, em caso de enfermidades, tratá-las. “Algumas doenças são insidiosas e só vêm apresentar sintomas relevantes quando já estão em estágio avançado. O costume de consultar um médico não apenas quando se está doente faz muito bem pra saúde e pra uma boa qualidade de vida.”, acrescenta.

 

Mas afinal de contas, você sabe com que frequência deve ir ao médico? Uma vez por ano ou duas? Todo mês ou um mês sim, outro não? A verdade é que cada idade exige uma “frequência” diferente de idas ao médico. Confira algumas dicas do Dr. Aier para diferentes perfis:

 

Crianças: Após a saída do hospital, caso esteja tudo bem com o recém-nascido, a primeira visita deve acontecer no 15º dia de vida. Passado esse período, as consultas devem ser feitas aos: 2, 4, 6, 9 e 12 meses no 1º ano de vida. No 2º ano, o pediatra deve ser consultado para o acompanhamento do bebê aos 15, 18, 21 e 24 meses. A partir daí, é necessário que se verifique o peso e a estatura a cada 6 meses até o 5º ano de vida e depois anualmente entre 6 e 18 anos. Obviamente, se o paciente apresentar alguma doença de base ou quaisquer alterações ao longo deste acompanhamento, essa periodicidade pode sofrer alterações.

 

Grávidas: Elas devem procurar o médico assim que tiverem o diagnóstico de gravidez ou mesmo na suspeita de,  para iniciar o acompanhamento da gestação. Até o sexto mês, as visitas ao obstetra  devem ser mensais. Depois disso, podem ocorrer de 15 em 15 dias, de acordo com o decorrer da gestação. Caso a gestante venha a sentir algo diferente, deve procurar imediatamente o médico.

 

Adultos: Devem realizar um checkup com todos os exames necessários uma vez ao ano, caso não possuam nenhum problema já diagnosticado de saúde. Exames de audição e visão devem ser feitos a partir dos 40 anos, ou antes, caso existam queixas pertinentes. Os exames específicos, ginecológicos e urológicos, por exemplo, como mamografias, ultrassonografias e consultas aos especialistas, devem ser realizadas na periodicidade recomendada por cada especialidade de acordo com as idades dos pacientes.

 

Idosos: Se estão saudáveis, podem seguir a mesma recomendação dos adultos e ir apenas uma vez por ano. Mas se apresentam alguma doença, devem ir ao médico com a frequência determinada por ele.

 

Para finalizar, o especialista recomenda que as idas ao médico se tornem um hábito, para evitar maiores problemas no futuro. “Não deixem que apenas a doença leve ao médico, um acompanhamento adequado previne inúmeros problemas, a sua saúde agradece”, completa.

 

Imagem e colaboração de texto: Camila Borba – P+G Comunicação Integrada e Dr. Aier Adriano Costa

Marina Xandó

ESCRITO POR Marina Xandó

Idealizadora e editora chefe do Ask Mi, Marina é esposa, advogada, blogueira, dona de casa e mãe da Maria Victoria. Começou o AskMi para passar suas dicas adiante. Também é o cérebro - e coração - por trás do Concierge Maternidade AskMi, onde presta consultoria para grávidas, desde o enxoval até organização de recepções e festas.

#Blog AskMi#cuidados#dicas#médico#saude