Detaxe na Europa by Ana Fadalti!

Detaxe na Europa by Ana Fadalti!

O post de hoje está super informativo e legal!!! Nossa querida colunista Ana, da Enxoval Babies, traz várias informações sobre a detaxe na Europa! Leia mais para saber:

 

BlogAskMi

 

Bonjour!! Voltei com um post prático para vocês que estão vindo para a Europa. Hoje vou explicar sobre a detaxe.
Você sabia que o turista que visita a Europa pode pedir o reembolso dos impostos das mercadorias que compram? Isto mesmo. Você pode receber de volta mais ou menos 12% do valor gasto.
Mas existe algumas condições. Para começar, você tem direito ao reembolso se suas compras forem acima de 175 euros, no mesmo dia e na mesma loja. Neste caso é preciso informar a loja que você deseja fazer a detaxe.
 A loja te entregará um formulário que deve ser apresentado na alfandega antes de voltar para o Brasil.
Também lembrando que além desta detaxe, os clientes da Enxoval Babies tem direito a descontos exclusivos em algumas lojas de produtos de enxoval de bebê. Você pode pedir o reembolso no cartão ou em dinheiro. Mas quem escolher em dinheiro precisa passar na área de reembolso do aeroporto. O que pode levar um tempo a mais.
O reembolso no cartão pode ser feito pelas máquinas “Pablo” que ficam nos aeroportos. Outro ponto importante é que a detaxe só é feita no último destino antes de voltar para o Brasil. Se suas compras foram feitas na França por exemplo, mas no seu roteiro você passará por outros países da Europa, a detaxe será feita no país de embarcação para o Brasil.
A detaxe é importante para quem quer fazer o enxoval do bebê em Paris ou em outras cidades da Europa. Pois o valor do enxoval pode ter até 12% de redução , se você entrar na condição da detaxe. Boas compras para vocês! E uma ótima viagem!! Bisous! Ana
Foto: Internet
Ana Fadalti para Enxoval Babies

ESCRITO POR Ana Fadalti para Enxoval Babies

A primeira e única consultoria em enxoval de bebê em Paris e na Europa. Fluente em francês e apaixonada pela Europa, Ana ajuda a realizar compras personalizadas e específicas para cada mamãe.

#Ana Fadalti#Babies#Blog Ask Mi#coluna#detaxe#Europa

Resistência a Insulina by Carol Grillo!

Resistência a Insulina by Carol Grillo!

Oi meninas, tudo bem??? Hoje temos um assunto super bacana, que gera muitas dúvidas na população em geral. E ninguém melhor do que a top nutricionista Carol Grillo para nos orientar. Confiram:

 

Resistência à Insulina

askmi1

A Insulina é o hormônio responsável pela redução da glicemia (taxa de glicose no sangue), ao promover o ingresso de glicose nas células. Ela é também essencial no consumo de carboidratos, na síntese de proteínas e no armazenamento de lipídios (gorduras).

Assim como o cortisol, a insulina também afeta diretamente a queima de gordura através da diminuição de uma importante enzima que queima gordura, a CPT-1, ou seja, a resistência à insulina é uma das principais causas da obesidade.

O que é resistência à insulina ? Resistência à insulina é um termo empregado para definir uma situação em que a insulina que circula no sangue não tem sua atividade plena. Quando o indivíduo é resistente à insulina, seu pâncreas produz o hormônio com o estímulo gerado pela glicose, mas este não age apropriadamente. Ou seja, a glicose não é capaz de entrar nas células dos tecidos e se acumula no sangue.

 

Pilates

 

Com o intuito de corrigir essa resistência, o organismo acaba secretando maiores quantidades de insulina, que, em níveis maiores, consegue cumprir suas funções. No entanto, algumas vezes, esse mecanismo pode não ser eficiente, levando a uma concentração aumentada tanto da insulina quanto da glicose no sangue, os cientistas do Instituto Garvan de Pesquisa Médica, da Austrália, partiram de descobertas de que que a resistência à insulina, a condição que com frequência leva ao diabetes, não ocorre da mesma maneira em todos as partes do corpo. Como consequência, aumentam os níveis de glicose no organismo, desencadeando uma série de problemas de saúde. Entretanto, essas pessoas encontram-se na faixa de risco para o desenvolvimento de doenças graves, como as cardiovasculares e o diabetes. Acredita-se que a resistência à insulina também esteja associada a outras condições como hipertensão arterial, aumento do colesterol sanguíneo e doenças vasculares.

Esse diagnóstico é eminentemente clínico. Indivíduos com excesso de peso, concentrado principalmente na região abdominal, são os que mais frequentemente apresentam resistência à ação da insulina. Em alguns casos, podem ocorrer algumas manchas escurecidas nas axilas e na região da nuca conhecidas como “acantose nigricans”. Algumas vezes, a dosagem da insulina, através de exame de sangue, pode ser útil, pois resulta, em geral, em valores altos, revelando a tentativa do organismo de corrigir o defeito.

 

askmi3

 

Caso os exames estejam alterados e o paciente for diagnosticado como resistente a insulina, uma dieta com carboidratos de baixo índice glicêmico ou até mesmo uma dieta cetogênica são estratégias interessantes neste caso. Além disso, os exercícios aeróbicos não podem ser esquecidos, uma vez que necessitamos aumentar o gasto energético e acelerar o metabolismo do paciente. E se ainda assim, o emagrecimento estiver lento, podemos pensar em utilizar algum protocolo de jejum intermitente, mas eu discordo de que esta deva ser a primeira medida a ser tomada. Antes de qualquer coisa, é fundamental uma reeducação alimentar, logo após deve-se criar uma rotina de exercícios e a partir daí vamos testando algumas estratégias de acordo com as respostas do paciente. Como eu sempre digo, a individualidade biológica é  quem vai determinar a sua alimentação e o tipo de dieta que funcionam para você. Por isso, é uma péssima ideia copiar a dieta da melhor amiga ou da celebridade da revista. Entendam que somos todos diferentes e necessitamos ser olhados individualmente. Um bom profissional saberá orientar e programar estratégias específicas para você!!!

Carol Grillo

ESCRITO POR Carol Grillo

Com inúmeros cursos de especialização, além de uma pós-graduação em nutrição clínica, Carol é uma nutricionista focada em ajudar seus pacientes a seguirem uma rotina alimentar saudável, equilibrada e direcionada a resultados.

#Blog AskMi#Carol Grillo#coluna#insulina#nutrição

Dicas para ter um glúteo bacana!

Dicas para ter um glúteo bacana!

Oi Meninas, tudo bem??? O verão já está aí e temos que nos preparar para colocar o corpitcho de fora, certo??? Por isso hoje temos coluna da Carol Grillo, nossa querida colunista e nutricionista com dicas super legais para nossos glúteos. Confiram:

 

askmi

 

Hoje em dia muitas pessoas se submetem a aplicações com substâncias perigosas (aqualift, metacril, pmma, etc) ou fazem cirurgias para melhorar a aparência dos glúteos. Infelizmente, isso pode trazer consequências graves para a saúde e muitas vezes o resultado não fica natural. Antes mesmo de iniciar um programa de exercícios e alimentação correta, as mulheres buscam métodos rápidos para alcançar o bumbum perfeito. E elas não sabem que uma maneira muito eficaz de aumentar glúteos, é treinar musculação e fazer uma dieta específica.
Adotar uma dieta para hipertrofia (ganho de massa muscular) pode ser interessante neste caso. Nas primeiras horas após o treino de musculação, o aporte sanguíneo para os músculos está aumentado, absorvendo mais nutrientes como proteínas e carboidratos. Portanto, é importante fornecer proteínas para atenuar o catabolismo e favorecer a síntese proteica. Neste momento, os músculos estão mais adaptados a receber uma maior quantidade de glicose para a formação de energia (atp) e preencher os estoques de glicogênio. Os carboidratos serão responsáveis pela recuperação do glicogênio muscular e devem ser administrados de acordo com as características metabólicas individuais de cada paciente. Por exemplo, aqueles que apresentam um metabolismo mais acelerado e possuem uma ótima sensibilidade a insulina podem ingerir uma quantidade maior de carboidratos.

 

askmi1
Se você consumir carboidratos em horários “estratégicos” não irá acumular gordura, mas ao invés disso vai construir um glúteo denso e firme. Falo isso, pois dietas restritivas em carboidratos por longos períodos, podem até secar o seu abdômen, mas infelizmente são péssimas para o seu glúteo, com o tempo ele vai ficando flácido e sem volume.
As mulheres têm medo de ingerir carboidratos porque acham que vão engordar. Ele virou o “vilão da vez”, quando não deveria ser assim, pois é um nutriente importante e deve ser prescrito em momentos específicos, principalmente em praticantes de exercício físico. O grande problema, é que na maioria das vezes, a alimentação das pessoas é bombardeada com altas doses de carboidratos, então estamos sempre com níveis altíssimos de insulina no sangue e o nosso corpo não consegue queimar este excesso de calorias, ou seja, acabamos engordando.
Só vai ocorrer hipertrofia muscular se a síntese proteica for maior do que o catabolismo. Portanto, para desenvolver os seus glúteos é importante consumir comida de verdade, que irá repor os nutrientes corretos. Fuja de snacks industrializados e cheios de sódio e açúcares. Não consuma sucos em excesso, adoçantes artificiais, refrigerantes, farinha de trigo, enlatados, salgadinhos, etc. Além de fazer mal a sua saúde, estes alimentos causam flacidez e celulite nos seus glúteos.

 

askmi2
Uma outra questão que não pode ser esquecida, é de que a alimentação para recuperação muscular e ganho de massa magra deve continuar ao longo do dia, inclusive nas refeições intermediárias. Não adianta suplementar e se alimentar corretamente, apenas antes e após o treinamento. Para você construir glúteos, é indispensável comer proteínas a cada 3 horas, alternando carboidratos e gorduras nestas refeições de acordo com as suas necessidades. Isso só poderá ser avaliado por um nutricionista esportivo.
Falando um pouco de treino para a região dos glúteos: eu não costumo fazer exercícios isolados, como caneleiras por exemplo. Costumo trabalhar esta região nas passadas em avanço, agachamentos, leg press e cadeira abdutora. O único exercício que eu faço e é específico para os glúteos, é a elevação pélvica. Acho excelente e tenho ótimos resultados. Mas lembrem-se que, o que funciona para mim, pode ser que não funcione para vocês. A individualidade biológica sempre deve ser avaliada. Precisamos ser olhados individualmente, pois as respostas variam mesmo utilizando os mesmos estímulos, dietas e treinos.
Se você não está atingindo o seu objetivo, é porque tem algo errado. Busque o auxílio de profissionais de qualidade para ajustar a sua alimentação e o seu treino de acordo com aquilo que você deseja. A sua saúde deve estar sempre em primeiro lugar.

 

Fotos: Internet

Carol Grillo

ESCRITO POR Carol Grillo

Com inúmeros cursos de especialização, além de uma pós-graduação em nutrição clínica, Carol é uma nutricionista focada em ajudar seus pacientes a seguirem uma rotina alimentar saudável, equilibrada e direcionada a resultados.

#alimentação#Blog AskMi#colunas#dicas#exercício#glúteos#nutrição#nutricionismo

O uso da creatina by Carol Grillo!

O uso da creatina by Carol Grillo!

Hoje é feriado e temos um post super bacana, a coluna da top nutricionista Carol Grillo! Sei que vocês amam a coluna dela e hoje ela aborda um assunto muito bacana. Confiram:

 

creatina-2

 

Olá meninas, tudo bem??
Hoje gostaria de falar um pouco sobre a creatina. Sem dúvida, é um dos suplementos mais prescritos na minha prática clínica tanto para homens quanto para mulheres. Até hoje, a creatina é claramente o suplemento mais efetivo para aumentar o desempenho nos exercícios anaeróbicos e aumentar a massa muscular. Na minha opinião, a grande maioria dos praticantes de musculação deveriam fazer uso do suplemento.
A creatina é uma substância natural encontrada no corpo humano, é sintetizada em parte pelos rins, pâncreas e fígado e parte via alimentação, é encontrada especialmente nas carnes. A maioria dos estoques corporais de creatina (mais de 94%) é armazenada no músculo esquelético e desenvolve um importante papel na rápida provisão de energia durante a contração muscular.

 

creatina-7

 

O interesse pela creatina como suplemento nutricional tem aumentado muito nas últimas décadas. O foco principal das pesquisas tem sido no valor ergogênico da creatina. Uma série de estudos tem demonstrado que as concentrações de creatina no músculo esquelético podem ser aumentadas através da suplementação de creatina monoidratada. Um dos benefícios mais conhecidos da suplementação com creatina é a explosão e a força. A substância consegue aumentar o desempenho do indivíduo em atividades que exigem muito esforço em intervalos curtos. O exercício não pode ter mais que 30 segundos de duração, como é o caso da musculação.
Alguns autores consideram a creatina o suplemento nutricional mais efetivo no aumento da tolerância ao exercício, aumento da força muscular e consequentemente o aumento de massa corporal magra.
Existem alguns mitos em relação ao uso de creatina. O primeiro seria de que a substância possa sobrecarregar os rins e o fígado, mas isso foi desmentido por inúmeras pesquisas ao longo dos últimos anos.

 

creatina-3

Outra preocupação, principalmente entre as mulheres, é de que a creatina engorda e causa inchaço, mas isso não é verdade. A grande quantidade do líquido retido pela creatina é dentro da célula muscular e não na pele. Provavelmente este mito se criou pois há algum tempo atrás a recomendação de creatina envolvia uma fase de saturação, onde você consumia 20g de creatina por dia durante uma semana e após este período passava a utilizar ao redor de 5 g/diárias.
Além disso, muitas mulheres culpam a creatina, mas fazem uso dela sem ter passado por uma reeducação alimentar antes. Então, é muito provável que este inchaço relatado se deva a uma dieta com excesso de carboidratos do que a suplementação em si.
O protocolo de suplementação atual, mais utilizado, é o da administração de 3 a 6g/diárias de creatina monoidratada, e o efeito de ganho de massa muscular e força é esperado após um período de seis a oito semanas de suplementação.

 

creatina-1
O efeito da suplementação com creatina é crônico, não agudo e ocorre apenas depois que houver saturação celular, o que pode levar alguns dias. Sendo assim, deve-se utilizar diariamente. A ingestão de creatina pode ser realizada em qualquer horário do dia. Uma sugestão é acrescentar a creatina no seu shake pós treino junto com whey protein isolado, glutamina e algum tipo de carboidrato (palatinose, waxy maize ou dextrose). Alguns autores relatam que a ingestão de carboidratos junto com a creatina melhoraria a sua absorção.
E na hora de escolher o suplemento, a creatina monohidratada é a melhor opção. Além de ter um preço melhor, foi demonstrado ter melhor biodisponibilidade (aborção melhor). Dê preferência a creatina pura, ao invés de produtos que contenham creatina e outros suplementos misturados.

 

creatina-5

 

Bom meninas, eu espero ter contribuído e ter tirado possíveis dúvidas de vocês!!! Para maiores informações vocês podem enviar email para grillo.caroline@gmail.com e sigam o meu Instagram profissional @nutricarolgrillo
Beijos Carol.

 

Fotos: Internet

Carol Grillo

ESCRITO POR Carol Grillo

Com inúmeros cursos de especialização, além de uma pós-graduação em nutrição clínica, Carol é uma nutricionista focada em ajudar seus pacientes a seguirem uma rotina alimentar saudável, equilibrada e direcionada a resultados.

#Carol Grillo#coluna#creatina#nutrição

Crianças e o medo na hora de dormir!

Crianças e o medo na hora de dormir!

Oii meninas, tudo bem? Mais uma semana começando e já estamos em novembro praticamente, né? Como o ano passou rápidooo! Mudando de assunto, hoje temos coluna da querida Letícia Barsotti, nossa colunista e psicóloga infantil, com dicas super legais para ajudar as crianças que sentem medo na hora de dormir. Vejam:

 

istock_000014078066small

 

Crianças e o medo na hora de dormir

Começa a escurecer, hora do banho, colocar um pijaminha, descansar e ir dormir, certo? Fácil, fácil. Mas vou citar uma cena muito comum. Hora do boa noite, mas a criança fala que está com medo, medo do monstro, do zumbi, do vampiro, lobo mal, seja lá do que for, mas é algo que assim que os pais saírem do quarto vai sair de baixo da cama ou de dentro do armário. Aí lá vai o pai, checar se tem algo de baixo da cama, deixar a luz acesa. Eu mesmo convivi com essas cenas, meu filho mais velho sentia muito medo na hora de dormir.É muito difícil lidar com isso, pois a maioria das vezes eles apresentam medo de coisas de outras dimensões.

É uma cena bastante comum nas crianças entre 3 e 6 anos, isso porque durante o dia, eles brincam, vão a escola e passam o dia todo ocupados, e o medo fica em segundo plano, mas na hora de dormir ficam relaxados e é nessa hora que os medos surgem com uma força maior.

Muitos pais que vivenciam com frequência essa cena citada acima, perguntam se o filho tem algum problema emocional mais profundo, ou uma insegurança muito grande, é claro que depende de cada caso, mas na maioria das vezes a resposta é não!

Isso acontece porque conforme a criança cresce, sua imaginação também cresce, incluindo sua capacidade de criar possíveis perigos. É o famoso “e se…”. E também porque alguns desafios que tiveram que enfrentar durante o dia, e que tiveram alguma dificuldade (desentendimento com amigos, tarefa nova, briga com irmãos)  é na hora de dormir que isso surge em forma de medo de outras coisas, já que é o momento em que se sentem mais vulneráveis.

Portanto, de nada adianta ter uma conversa racional ou tentar explicar que monstro não existe. Vale lembrar que precisamos legitimar e ajudar o pequeno que está sofrendo a entender esse sentimento que o apavora, esse medo é real para ele! Ir devagar, mostrando que vampiros e lobo mal existem na dimensão da estória, e não na vida real.

Conversar bastante com a criança, pedir que conte sobre seu dia. Isso ajuda a criar ferramentas para enfrentar desafios diários, fazendo com que se sintam mais seguros, e assim mais preparados também para enfrentar seus próprios medos.

Bons sonhos!

Beijos, Leticia

 

Foto: Internet

Leticia Barsotti

ESCRITO POR Leticia Rotta Barsotti

Psicóloga infantil, com especialização em São Paulo e em Nova Iorque. Já trabalhou nos melhores hospitais de São Paulo, como no Hospital das Clínicas e no Hospital Albert Einstein. Atende em seu consultório particular.

#Blog AskMi#coluna#leticia barsotti#medo de dormir#psicologia infantil